sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Funcionários da Iberia preparam greve contra 4,5 mil demissões


Os sindicatos da companhia aérea espanhola Iberia convocaram seis dias de greve, no dia 14 e dos dias 17 a 21 de dezembro, para protestar contra o plano de reestruturação da companhia que prevê o corte de 4,5 mil empregos. "Toda a força de trabalho da companhia irá protestar e serão realizadas mais greves se não houver solução até 21 de dezembro", afirmou José Carrillo, secretário de organização do setor aéreo do sindicato CCOO.

Manifestantes no aeroporto em Madri criticam a companhia Iberia nos preparativos para greve de 6 dias
"O (sindicato de pilotos), Sepla, não deve ser convocado porque está no processo de arbitragem, mas os pilotos como trabalhadores individuais podem fazer greve caso desejem e parece que desejam", disse Manuel Atienza, um porta-voz de outro grande sindicato espanhol, o UGT. "Estamos em uma linha de ação de greve contínua. Não queremos incomodar as pessoas que vão sair de férias, por isso escolhemos essas datas", explicou Carrillo. "Se não houver uma solução por parte da direção após o dia 21, decidiremos um novo calendário de greve", acrescentou.

Os sindicatos esperam reação da parte da direção. "Estamos dispostos a negociar reduções salariais e o aumento da produtividade, mas não aceitamos cortes drásticos", explicou Carrillo. "O que queremos é que retirem o plano de liquidação e de desmantelamento do Iberia e ponham sobre a mesa um plano de viabilidade e de crescimento", disse Atienza. "E neste contexto estamos dispostos a fazer esforços: contenção salarial, produtividade; mas para crescer, não para que a desmantelem", disse.

O Iberia, que se fundiu com a British Airways para dar lugar ao grupo IAG, anunciou no dia 9 de novembro o corte de 4,5 mil empregos, ou seja, 25% de seu efetivo total, causando revolta nos sindicatos que classificaram a decisão como um "ataque brutal". O plano também prevê reduções nos salários entre 25% e 35%. O IAG fixou o dia 31 de janeiro como uma data limite para chegar a um acordo sobre este plano e advertiu sobre "maiores supressões de emprego e uma redução mais radical das operações do Iberia" caso não se chegue a um consenso.

Estas supressões de emprego em uma empresa de referência na Espanha é um duro golpe para o país, imerso em uma crise econômica e onde o desemprego superou, no terceiro trimestre, 25% da população economicamente ativa. Além da redução do emprego, o plano de reestruturação - que tem por objetivo corrigir principalmente o segmento deficitário dos voos de curta e média distância - prevê uma redução de 15% da capacidade da companhia espanhola, que em troca se concentrará nas rotas mais rentáveis, e uma diminuição de sua frota em 25 aviões. No âmbito financeiro, o objetivo fixado pelo grupo é que o Iberia consiga conter suas perdas em meados de 2013.

www.terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário