sexta-feira, 12 de abril de 2013

Agentes prisionais ameaçam parar atividades em Santa Catarina


A “falta de agentes penitenciários” interrompeu alguns serviços em unidades prisionais de Santa Catarina, conforme denuncia realizada nesta quinta-feira por um dois diretores do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual (Sintespe).

O diretor de Organização e Relações Sindicais da entidade, Volney Chucre, usou o plenário da Assembleia Legislativa para falar da paralisação de alguns serviços no Complexo Penitenciário São Pedro de Alcântara, localizado na região metropolitana de Florianópolis. Segundo ele, o banho de sol, além da visita de familiares e advogados foram interrompidos por falta de agentes penitenciários. 

A categoria ameaça paralisar todas as atividades na próxima semana. Entre as exigências dos agentes prisionais estão a reposição do efetivo e o reajuste salarial. Desde 2006, profissionais concursados estão esperando ser chamados e ainda não estão trabalhando. A ameaça deixou um clima de preocupação entre as autoridades catarinenses, principalmente em decorrência de uma provável reação dos detentos. Em novembro e fevereiro deste ano, ondas de atentados assustaram os moradores do Estado.

“Falta efetivo, o nosso sistema prisional está precário. O serviço público está jogado às traças. Nós estamos parando, não para fazer greve, mas por não ter quem trabalhe. Tivemos que paralisar, muito recentemente o banho de sol, a visita de familiares e advogados”, afirmou Volney.

Os agentes penitenciários deverão realizar um ato público na próxima semana pedindo melhores condições de trabalho. A categoria admite parar a partir do dia 17 de abril.

fonte: terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário