segunda-feira, 26 de março de 2012

Greve contra austeridade para Portugal por 24 horas


Uma greve contra as medidas de austeridade e reformas trabalhistas em Portugal suspendeu ontem a circulação de trens, fechou portos e paralisou a maior parte do transporte público do país.

A greve de 24 horas, convocada pela Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP) - que representa 600 mil funcionários dos setores público e privado -, é uma reação às exigências da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para conceder a Portugal um socorro financeiro de 78 bilhões.

No centro de Lisboa ocorreram confrontos entre centenas de manifestantes e policiais. O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, enfrentou manifestantes fora da Universidade do Porto, onde ele participava de um evento. Um porta-voz do governo disse que os portugueses têm direito de protestar, mas a greve "ajudará pouco o país nas atuais circunstâncias".

O metrô de Lisboa, que transporta mais de meio milhão de passageiros por dia, ficou fechado. Os serviços de trem, ônibus e balsa na capital e na segunda maior cidade do país, Porto, funcionavam ocasionalmente.

Longas filas de carros entupiam as ruas das duas cidades, uma vez que as pessoas decidiram usar seus carros. As chegadas e partidas no aeroporto de Lisboa não foram afetadas.

Em Coimbra, terceira maior cidade do país, também havia poucos ônibus nas ruas, e a estação ferroviária estava fechada.

Portugal enfrenta sua pior recessão desde a década de 1970, e em maio do ano passado precisou de um resgate internacional. Alguns economistas dizem que será necessário um segundo pacote, pois a recessão se agravou, o que complica o cumprimento de metas orçamentárias e o plano de voltar a captar recursos no mercado internacional em 2013.

fonte: estadao.com.br

Acompanhe: www.grevegeral.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário