quarta-feira, 1 de junho de 2011

Greves de ônibus no ABC e na CPTM serão mantidas nesta quinta-feira


A greve dos funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) continua nesta quinta-feira, 2, afetando todas as linhas do sistema. Os representantes do sindicatos não aprovaram a proposta de reajuste oferecida pela companhia e devem ser recebidos pelo secretário estadual dos Transportes, Jurandir Fernandes, às 9h, para discutir os rumos da paralisação.
Os trabalhadores do Sindicato dos Rodoviários da Região do Grande ABC também decidiram manter a greve nesta quinta-feira. Amanhã está marcada uma audiência às 11h para outra rodada de negociações, além de uma assembleia que deve acontecer às 15h.

Estação Calmon Viana, na linha 12 da CPTM, ficou fechada
Durante a manhã e tarde desta quarta-feira, cerca de 370 mil passageiros foram afetados pela paralisação dos funcionários da CPTM nas linhas 12 - Safira (que liga o Brás, no centro de São Paulo, até Calmon Viana, em Poá, na Grande São Paulo) e 11 - Coral, inoperante entre a estação Estudantes, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, e Guaianazes, na zona leste da capital.
À noite, as linhas 8 - Diamante (que faz o trajeto entre as estações Júlio Prestes e Amador Bueno) e 9 - Esmeralda (que atende as estações Osasco, Presidente Altino e Grajaú) já estavam parcialmente paradas, e os funcionários das linhas 7 - Rubi (que vai de Francisco Morato a Jundiaí) e 10 - Turquesa (da estação Luz a Rio Grande da Serra) aderiram à greve.
Já no Grande ABC, das 19 permissionárias gerenciadas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU-SP), apenas quatro estavam com a operação normal e uma com operação parcial. O Corredor Metropolitano ABD está funcionando com 75% da frota. A EMTU calcula que, nas 7 cidades da região que foram afetadas pela paralisação, 200 mil passageiros estão sendo prejudicados.
À noite, a EMTU impetrou uma medida cautelar no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para garantir a operação de 80% da frota das linhas intermunicipais que circulam no ABC. A aprovação da medida depende de decisão judicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário